Descrição de chapéu Zona Leste

Policial civil morre baleado ao sair de restaurante em São Paulo

Dupla suspeita do crime ainda não foi identificada; investigador foi abortado quando ia para seu carro; nada foi levado da vítima

São Paulo

O policial civil Jorge Queiroz, 58 anos, morreu após ser ferido a tiros durante uma abordagem feita por criminosos, na noite deste domingo (25), na Vila Carrão (zona leste da capital paulista). Nenhum suspeito pelo crime havia sido preso até a publicação desta reportagem.

Queiroz, que era chefe de investigações do 30º DP (Tatuapé), saiu de um restaurante e, quando caminhava até seu carro, estacionado em frente ao estabelecimento, foi abordado por dois criminosos. O agente estava fora de serviço. Em depoimento à polícia, o dono do restaurante afirmou que Queiroz teria brigado com um dos ladrões, que atirou contra o policial em seguida.

“A dupla fugiu. A arma do policial foi apreendida, assim como sua carteira com documentos e uma quantia em dinheiro. Foi solicitada perícia para o local dos fatos”, diz trecho de nota da SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB).

O chefe de investigações do 30º DP (Tatuapé) Jorge Queiroz, 58 anos, morreu após suspeitos o ferirem, em uma abordagem, na noite deste domingo (25), na Vila Carrão (zona leste da capital paulista) - Reprodução/Redes Sociais

A polícia investiga se os criminosos pretendiam assaltar o restaurante ou o policial, quando ele pretendia entrar no carro. A dupla, porém, acabou não levando nada da vítima.

O chefe de investigações chegou a ser encaminhado em estado grave ao pronto-socorro do Tatuapé, onde morreu.

O caso é investigado pelo 31º DP (Vila Carrão), que analisa imagens de câmeras de monitoramento, nas quais é possível ver duas pessoas correndo após o policial ser ferido a tiros.

Imagens do roubo de um carro, ocorrido perto de onde o policial foi ferido, também são analisadas para que a polícia verifique se os suspeitos são os mesmos que abordaram o investigador.

Dados da SSP indicam que dois policiais civis, de folga, foram mortos na capital paulista, no primeiro semestre deste ano, representando todos os casos do tipo no estado de São Paulo. No mesmo período do ano passado, nenhuma morte de agente da Policia Civil, fora de serviço, foi registrada em todo o estado.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.