Descrição de chapéu Interior

Candidata a prefeita vítima de atentado no litoral de SP afirma ter sido ameaçada de morte

Solange Freitas (PSDB) diz que já havia sido abordada anteriormente

São Paulo

A jornalista Solange Freitas (PSDB), candidata à prefeita em São Vicente (65 km de SP), afirmou ter sofrido duas ameaças durante sua campanha até a manhã desta quarta-feira (11), quando o carro blindado, ocupado por ela e sua equipe, foi alvo de um atentado a tiros. Ninguém se feriu.

O caso ocorre cerca de dois dias após um candidato a vereador ser baleado com dois tiros em Guarulhos (Grande SP), quando fazia uma transmissão ao vivo pela internet, no início da manhã de segunda-feira (9). Ricardo de Moura (PL), 40 anos, teve alta na manhã desta terça-feira (10), segundo o hospital Nipo Brasileiro.

Imagens de uma câmera de monitoramento mostram um homem, ainda não identificado, emparelhando uma pequena moto branca com o veículo de Solange. O suspeito nem chega a reduzir a velocidade da motocicleta, enquanto atira contra o vidro dianteiro direito do carro da candidata. O homem foge em seguida. Ele não havia sido identificado até a publicação desta reportagem.

“Eu estava lendo e enviando mensagens, com o celular, e não percebi quando ele [atirador] apareceu. Só lembro do motorista gritando: ‘abaixa, abaixa, abaixa. Depois disso, vieram os tiros”, relembrou Solange, em entrevista ao Agora na tarde desta quarta.

O motorista perdeu o controle do Volkswagen Tiguan preto, colidindo o carro contra a sarjeta. O vidro dianteiro direito do veículo ficou trincado, em quatro pontos, por causa dos disparos. Solange disse que costuma se sentar justamente no local para onde os tiros foram direcionados. Mas, nesta quarta, ela ocupava o banco traseiro, entre dois assessores.

Antes do atentado, ocorrido por volta das 10h20, a candidata permaneceu por aproximadamente uma hora em uma padaria, onde tomou café com sua equipe. Logo em seguida, ela e mais quatro pessoas foram até o carro, com o qual pretendiam ir até uma feira livre, onde fariam um vídeo para a campanha. Antes de chegar ao local, porém, houve o ataque.

No dia 14 do mês passado, um dos dois comitês da candidata foi destruído por um incêndio, supostamente criminoso, na avenida do Quarentenário. A fiação do prédio também foi levada pelos criminosos na ocasião. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Cerca de dois dias depois, Solange foi verificar as condições do prédio, momento em que foi abordada por um desconhecido. Ele teria comentado que a candidata estava “incomodando” as pessoas para quem ele trabalharia.

“O homem me disse que, se eu crescesse muito nas pesquisas [de intenção de voto] eu seria morta e que, caso eu vencer a eleição, não irei assumir. Na época, pensei que era uma tentativa para me desestabilizar e, por isso, deixei pra lá”, afirmou Solange.

A candidata mantinha dois comitês na cidade. Após o incêndio, porém, optou em manter somente um, no centro de São Vicente.

Vidro lateral de carro blindado ocupado por candidata à prefeitura de São Vicente (65 km de SP) foi atingido ao menos quatro vezes por tidos, na manhã desta quarta (11). Ninguém foi preso - Divulgação

Já a outra ameaça, Solange afirma que recebeu por meio de uma mensagem de celular, durante a pré-campanha. A origem do texto contava com um DDD do Chile. Ela bloqueou o número. Ela não deu detalhes sobre o que lhe foi escrito.

Solange deixou de fazer campanha nesta quarta, dia usado para prestar depoimento à polícia e se recuperar do atentado. Porém, ela afirmou que nesta quinta-feira (12) vai retomá-la, com segurança pessoal reforçada. “O ataque que sofri, não só foi um ataque à Solange, mas também à democracia, aos eleitores, em querer [atirador] me intimidar ou me matar”, destacou.

Investigação

​A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão Joao Doria (PSDB), afirmou que a Deic (Divisão Especial de Investigações e Capturas) dará continuidade à investigação iniciada pelo 1º DP de São Vicente, onde o caso foi registrado. "A candidata e apoiadores estavam em um carro e não se feriram. A Polícia Civil está com diligências para identificar e prender o autor dos disparos", diz trecho de nota.

​O governador João Doria, que é do mesmo partido da candidata de São Vicente, afirmou em suas redes sociais que o atentado sofrido por Solange "é uma violência condenável e um ataque à democracia". Ele acrescentou ter determinado à Polícia Civil para que "esclareça este episódio e prenda o criminoso".

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do publicado na versão anterior deste texto, a candidata Solange Gomes (PSDB) disputa a eleição para prefeita na cidade de São Vicente. A informação foi corrigida.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.