Descrição de chapéu Interior

Resgate frustrado de presos tem tiroteio no litoral paulista

Criminosos tentariam resgatar presos da carceragem do 1º DP de Guarujá, segundo a polícia

São Paulo

Suspeitos ainda não identificados tentaram resgatar presos da carceragem do 1º DP de Guarujá (86 km de SP), por volta das 4h desta segunda-feira (30). Houve troca de tiros com a Polícia Militar, mas ninguém se feriu, foi resgatado ou preso.

Segundo a Polícia Militar, a corporação foi acionada por volta das 4h20 para dar apoio à tentativa de resgate de 16 presos mantidos na carceragem, que fica em uma cadeia anexa à delegacia. Na avenida Santos Dumont, PMs se depararam com alguns suspeitos, que atiraram contra os agentes, que revidaram, de acordo com o relato.

Após este primeiro tiroteio, segundo registrado pela Polícia Civil, os suspeitos fugiram a pé e renderam um motorista. Em depoimento, a vítima afirmou ter sido obrigada a deitar no chão, quando houve um segundo tiroteio. Após isso, acrescentou, seis criminosos embarcaram em seu carro e obrigaram o condutor a os levar até a favela Sítio Conceiçãozinho, para onde o bando fugiu, liberando a vítima.

Outra parte da quadrilha rendeu o motorista de um ônibus, segundo relatado pelo condutor à polícia, obrigando a vítima a atravessar o veículo na avenida Santos Dumont. Após isso, houve mais uma troca de tiros, seguida da fuga dos criminosos, sobre a qual não foram dados detalhes.

Viaturas fecharam trecho da avenida Santos Dumont, em Guarujá (86 km de SP), após suspeitos tentarem resgatar presos da carceragem anexa ao 1º DP da cidade, por volta das 4h desta segunda-feira (30). Houve trocas de tiros. Ninguém foi preso ou se feriu - Divulgação/PM Guarujá

Na via, foram apreendidas munições de fuzil calibre 556, além de mais de dez projéteis calibre ponto 40, supostamente disparados por policiais militares.

Perto da delegacia, a polícia encontrou um Chevrolet Prisma, que seria usado pelos criminosos para fugir, de acordo com a investigação da Polícia Civil. No veículo, foram encontradas duas marretas e um machado, que seriam supostamente usados na fuga dos criminosos. Uma escada também foi localizada perto do 1º DP.

Na fuga, um dos criminosos deixou um celular cair. O aparelho foi encaminhado para perícia.

A GCM (Guarda Civil Municipal) foi acionada para dar apoio ao caso, por volta das 5h. Segundo o comandante Luiz Carlos Mariano, quando viaturas da guarda chegaram ao local, os suspeitos já haviam fugido. "Tinha somente munição no chão, inclusive de fuzil, quando chegamos”, afirmou.

Munições de fuzil calibre 556 pistola calibre ponto 40 foram encontradas na avenida Santos Dumont, após troca de tiros entre suspeitos e a Polícia Militar, após tentativa de resgate de presos, na madrugada desta segunda-feira (30), na cadeia anexa ao 1º DP do Guarujá (86 km de SP). Ninguém foi preso ou se feriu - Divulgação/GCM Guarujá

O local foi preservado por viaturas da PM e GCM até por volta das 6h30, para que a via onde ocorreram os tiroteios fosse periciada pela Polícia Técnico-Científica.

O delegado Estevam Gabriel Urso, titular do 1º DP de Guarujá, afirmou ao Agora, por telefone, que havia 16 presos na carceragem anexa à delegacia. Até a publicação desta reportagem, cinco deles haviam sido transferidos para o sistema carcerário. As unidades para onde seriam deslocados não foram informadas, por questões de segurança.

A polícia investiga quantos presos seriam resgatados do local e por quais motivos.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), afirmou que o caso foi registrado no 1º DP da cidade do litoral. “Mais informações não serão divulgadas neste momento para não prejudicar o trabalho policial”, diz trecho de nota.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.