Descrição de chapéu chuva clima

Outono deve diminuir ocorrência de chuvas em São Paulo

Estação, que se inicia no sábado (20), é marcada pela queda nas temperaturas em relação ao verão

Gabriela Bonin
São Paulo

O outono começa neste sábado (20), oficialmente às 6h38, horário de Brasília. A estação é marcada pelo declínio das temperaturas, principalmente na região Sudeste. Os termômetros entre sábado (20) e terça-feira (23), no entanto, indicam máximas entre 30ºC e 32ºC e mínimas de 18ºC ou 19ºC na capital paulista.

A previsão do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de São Paulo) indica uma pequena trégua na ocorrência de chuvas mais intensas entre sábado (20) e segunda-feira (22). No sábado, o dia fica nublado, com possibilidade de chuva isolada no período da tarde e pancadas de chuva à noite.

Árvores no canteiro central da avenida Dom Pedro I, no Ipiranga (zona sul de São Paulo) - Rivaldo Gomes/Folhapress

No domingo (21), as nuvens continuam presentes, mas o sol predomina. Há possibilidade de chuva isolada, mas a temperatura máxima é de 32ºC.

Para o outono, o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê uma redução das chuvas na Região Sudeste à medida que o inverno se aproxima, dando início ao período seco a partir de maio.

Segundo o órgão, no final de abril e início de maio, o início das primeiras entradas das massas de ar pode gerar temperaturas ligeiramente abaixo da média em áreas pontuais, como o sudeste de São Paulo.

Na cidade de São Paulo, as temperaturas médias para o outono variam entre 12,4ºC e 27,4ºC. Para este ano, a previsão é de que os termômetros fiquem próximos ou um pouco acima da média, com pequenas quedas pontuais.

Ainda considerando as médias históricas, o nível de chuvas costuma cair mês a mês, saindo de 189,5 milímetros em março para 56,3 milímetros em junho.

O outono, estação considerada de transição entre o verão quente e úmido e o inverno frio e seco, termina em 21 de junho às 00h32.

Cuidados com a saúde

As temperaturas mais amenas e clima mais seco aumentam a incidência de quadros respiratórios e alérgicos no inverno.

A transmissão de vírus e concentração de poluentes no ar traz maior ocorrência de gripes e resfriados, além de piora nos quadros de rinite alérgica, asma, pneumonia e bronquite.

"É importante manter os ambientes ventilados, evitar varrer a casa e dar preferência a panos úmidos na hora da limpeza", explica a alergologista Cristina Abud, da rede de hospitais São Camilo. A médica também indica umidificar os ambientes, colocando uma bacia de água ou toalha úmida no quarto, por exemplo.

Medidas que evitam o contágio do novo coronavírus também são eficazes para diminuir a transmissão de outros vírus respiratórios. O uso de máscaras, higiene das mãos e distanciamento social são ações que ajudam na prevenção de quadros de saúde típicos do outono.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.