Descrição de chapéu Grande SP

Polícia instaura inquérito para identificar participantes que fugiram de festa clandestina no ABC

GCM de São Bernardo do Campo prendeu 158 pessoas em evento irregular nesta quarta-feira (10)

São Paulo

A Polícia Civil instaurou um inquérito para identificar os frequentadores de uma festa clandestina, flagrada pela GCM (Guarda Civil Municipal), na tarde desta quarta-feira (10), em uma chácara em São Bernardo do Campo (ABC). Das cerca de 500 pessoas que estavam no local, somente 158 foram presas e levadas à delegacia. O restante, segundo a polícia, conseguiu fugir a pé, deixando para trás veículos e embarcações.

Eventos em geral estão proibidos em todo o estado de São Paulo, por causa da pandemia do novo coronavírus. Desde sábado (6), todos os municípios paulistas entraram na fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva, com o intuito de diminuir infecções e mortes decorrentes da Covid-19, além de desafogar Unidades de Tratamento Intensivo, que em alguns casos estão com 100% de ocupação. As restrições ficarão mais rígidas a partir da semana que vem.

O delegado Paul Henry Bozon Verduraz, titular da Deic (Delegacia Especializada em Investigações Criminais), indiciou as 158 pessoas presas pela guarda por infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. A pena para este tipo de crime oscila entre um mês a um ano de prisão, além de multa.

Participantes de festa clandestina caminham até ônibus que os levou até delegacia, onde foram indiciados por descumprir medida sanitária de combate à Covid-19, ao serem flagrados participando de uma festa clandestina, em uma chácara, na tarde desta quarta-feira (10), em São Bernardo do Campo (ABC) - Ricardo Cassin/PMSBC

Ele acrescentou também já ter instaurado um inquérito policial, para identificar os outros participantes do evento clandestino, para também os indiciar pela mesma infração. “Espero que a Justiça agora faça a sua parte analisando cada um dos envolvidos e aplicando as sanções que merecem, como penas alternativas e multas”, afirmou o delegado ao Agora, na manhã desta quinta-feira (11).

A Secretaria de Segurança Urbana de São Bernardo do Campo, gestão Orlando Morando (PSDB), monitorou em redes sociais a organização do evento clandestino. Com base em postagens feitas por organizadores, na internet, os guardas rumaram, inclusive com barcos, para uma chácara, às margens da represa Billings, no bairro Riacho Grande.

No local, a corporação estima que haviam cerca de 500 pessoas, por volta das 16h, em grande parte jovens e sem máscaras de proteção, aglomerados e consumindo bebidas alcoólicas.

Alguns frequentadores, ao avistarem a GCM, fugiram da chácara a pé, deixando para trás carros e embarcações, incluindo motos aquáticas. Os 158 frequentadores detidos na festa, divulgada como “Quarta Loka”, precisaram ser colocados em ônibus, que os levaram em seguida para a delegacia.

Ao todo foram apreendidos 77 veículos, incluindo alguns de luxo, além de dez embarcações. Todos os 158 detidos foram liberados após serem fichados pela polícia.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo afirmou que, nesta quarta, a cidade registrou 92% de ocupação de UTI (Unidades de Tratamento Intensivo) para adultos, “um dos maiores índices atingidos desde o início da pandemia”, diz trecho de nota.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.