Barreira sanitária em Praia Grande, no litoral paulista, já fiscalizou mais de mil pessoas

Bloqueio é realizado desde a tarde de quarta-feira e vai até domingo para tentar conter turista de um dia durante o feriado de Corpus Christi

Praia Grande (SP)

A Guarda Civil Municipal e a Defesa Civil abordaram 1.107 pessoas que chegaram à Praia Grande (71 km de SP) desde as 14h desta quarta-feira (2) até o início da tarde desta quinta (3), em uma barreira montada na entrada do município. Deste total, somente um motorista resolveu não entrar na cidade, segundo a GCM, e voltou. Os motivos não foram explicados

A barreira foi montada na avenida Ayrton Senna da Silva e tem a missão de orientar, principalmente turistas de um dia que chegam no feriado de Corpus Christi, sobre medidas de prevenção à Covid-19 adotadas em Praia Grande.

Além de Praia Grande, as vizinhas Santos e Mongaguá também montaram o controle de acesso aos municípios. Itanhaém, Guarujá, São Vicente, Bertioga, Peruíbe e Cubatão, igualmente da Baixada Santista, optaram por não adotar a barreiras sanitárias, mas vão fiscalizar e promover ações para evitar aglomerações nas praias.

Motorista é parado em barreira sanitária montada em Praia Grande, na Baixada Santista, para orientar turistas que chegam à cidade da Baixada Santista sobre medidas adotadas no município para conter o avanço do coronavírus - Rubens Cavallari/Folhapress

A reportagem chegou à Praia Grande às 9h20 desta quinta e,or causa do trânsito lento, demorou quase 20 minutos para percorrer duas quadras, até o ponto onde foi montada a barreira, na altura do número 912 da avenida Ayrton Senna da Silva. Mas logo o tráfego andou.

O secretário de Assuntos de Segurança Pública da Praia Grande, coronel da reserva da PM Maurício Vieira Izumi, afirmou ao Agora que a oscilação do trânsito resulta de ações preventivas contra eventuais arrastões e assaltos.

“Não aconteceu até agora, mas temos histórico de ações contra motoristas presos em congestionamentos na entrada da cidade. Há pessoas que se aproveitam do trânsito parado para cometer crimes”, explicou o coronel. Por isso, disse, as barreiras ocorrem de tempos em tempos, no decorrer do dia, para evitar a formação congestionamentos. “Quando uma câmera de monitoramento indica que os carros já estão ultrapassando o limite [da cidade], trabalhamos para o trânsito voltar a fluir”, acrescentou.

Diferentemente de quando um lockdown foi decretado na cidade, entre março e abril, em que estava proibido pisar na areia e no calçadão, a reabertura do comércio e liberação das praias atrai um número maior de pessoas ao litoral paulista no feriado desta quinta.

Por ter casa na Praia Grande, o assistente administrativo José Ferreira, 50 anos, foi até a cidade com o irmão, o aposentado Donizete de Lima Ferreira, 62, e as mulheres de ambos para fazer um bate e volta para a capital paulista, onde mora. “Vamos passar o dia na praia e voltamos ainda hoje [quinta]”, explicou o assistente.

O irmão dele, que dirigia o carro ocupado pelos dois casais, afirmou concordar com a barreira sanitária, afirmando se sentir seguro de estar no litoral, pelo fato de ficar hospedado na casa do parente. As quatro pessoas do carro, usavam máscaras.

Às 10h35, outro carro com placas de São Paulo foi abordado pela GCM. Ao motorista profissional Tiago Rodrigues, 33 anos, um guarda explicou que a cidade segue regras sanitárias, por causa da
pandemia. Acompanhado pelas amigas Fernanda Silva, 35 e Valéria Santos, 33, todos com máscaras, o condutor afirmou à GCm foi até a Praia Grande para comer espetos em um bar famoso pelo quitute. "Está um dia lindo e é feriado”, justificou uma das amigas. O trio afirmou pretender voltar para a capital paulista ainda nesta quinta.

O guarda alertou sobre multas aplicadas às pessoas flagradas sem máscaras de proteção na cidade.

Segundo o secretário municipal da Segurança, desde março deste ano foram aplicadas 120 multas a pessoas estavam sem máscaras, resultando em cerca de R$ 60 mil.

“Para que a autuação aconteça, a pessoa precisa insistir, pois orientamos com calma para que a máscara seja usada. Caso ela não colabore, depois de muita argumentação, aplicamos a multa”, disse o coronel Izumi.

Além deste tipo de punição, ao menos 40 comércios também foram autuados, por algum descumprimento a regras determinadas por autoridades sanitária, segundo o secreta´rio.

A barreira na Praia Grande ocorre desde as 14h de quarta-feira feita e dura ininterruptamente até o mesmo horário de domingo.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.