Voltaire de Souza: As portas da burrice

Voltaire de Souza

Polêmica. Debate. Mal-estar.
É a CPI da Covid.
Os depoimentos se sucedem.
Uma médica importante mantém seus pontos de vista.
É a Capitã Cloroquina.
—Tratamento preventivo.
Em Brasília, o general Perácio acompanhava a situação.
—Muito competente essa especialista.
Ele suspirou.
—Pena que ela acredite nessa história de vírus.
O tapa estalou com força sobre a mesa de jacarandá.
—Quando vamos parar de acreditar nessa besteira?
Perácio tinha a explicação.
—São os chineses querendo vender vacina.
Ele tinha pesquisado alguns documentos.
—O propósito deles não é só ganhar dinheiro.
A pausa foi dramática.
—Eles querem produzir impotência nos brasileiros.
Perácio se baseava num relatório americano.
—O pessoal do Trump que me passou.
O plano seria diabólico.
—Com menos gente nossa, vão encher de chinês a Amazônia.
Vem a notícia.
Para a capitã Cloroquina, a Fiocruz está muito ideologizada.
—Verdade.
Foi visto até um pênis na porta do instituto científico.
Perácio concorda.
—É ali que eles fazem os experimentos.
Opiniões divergem.
Alguns preferem a seringa.
Para outros, o pênis é o fundamental.

Mayra Pinheiro com a máscara no queixo durante sessão da CPI da Covid no Senado
Polêmica. Debate. Mal-estar. É a CPI da Covid. - Leopoldo Silva/Agência Senado

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.