Estação de metrô de São Paulo abrigará 400 pessoas durante frente fria

Acolhimento emergencial será feito na estação Pedro 2º até o próximo sábado (31)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A estação Pedro 2º, integrante da linha 3-vermelha do metrô de São Paulo, será adaptada para receber 400 pessoas em situação de rua a partir já a partir da noite desta quarta-feira (28) para protegê-las do frio intenso que já atua sobre a cidade e o estado de São Paulo.

A abertura da estação atendeu a um pedido do um pedido do padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua de São Paulo. Conforme adiantou o Agora, o anúncio foi feito nesta quarta-feira à tarde, durante enterevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em que o governador João Doria (PSDB) anunciou as medidas que o estado está tomando no combate ao novo coronavírus.

A preocução do governo estadual não é por menos. Caso a previsão dos meteorologistas se confirme, a frente fria que já atua na na capital paulista poderá fazer com que a temperatura seja a menor dos últimos 27 anos.

O abrigo emergencial nas dependências do metrô abrigará exclusivamente homens.No local, será disponibilizada alimentação, água potável, colchões, cobertores e 20 banheiros químicos entre 20h e 8h, até o próximo sábado (31).

Essa medida integra um programa denominado Noites Solidárias. O programa prevê a participação de vários órgãos do governo estadual e municipal. A segurança da região do parque Dom Pedro 2º e dentro da estação estará reforçada por agentes da Guarda Civil Metropolitana e PM. Uma equipe do Padre Júlio Lancelotti irá pernoitar com os abrigados para auxiliar no acolhimento de todos.

Em paralelo a isso, o governo estadual entregará 83 mil cobertores térmicos, 2,3 mil agasalhos e 23 mil pares de meias a municípios paulistas. Também serão abertas 2.000 vagas de alojamento provisório à população em situação de rua em 134 cidades do Estado.

VEJA COMO DOAR COBERTORES E ROUPAS

Para garantir a segurança alimentar da população em maior vulnerabilidade, os restaurantes Bom Prato irão servir 3.000 sopas por noite, gratuitamente, até o fim de agosto. As unidades são do Brás, São Mateus, Perus, Capão Redondo e Santana, na Capital, e nos municípios de São José dos Campos, Taubaté, Ferraz de Vasconcelos, Taboão da Serra e Itapevi. A medida da gratuidade para a população em situação de rua está prorrogada também até o final do mês.

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, segundo os números do Censo de 2019, realizado pela empresa Qualitest Ciência e Tecnologia Ltda, indica que a capital tem 24.344 pessoas vivendo nas ruas, sendo 11.693 acolhidos na rede socioassistencial e 12.651 em situação de rua.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.