Com golaço de Scarpa, Verdão vence o Grêmio

Time joga pelo empate na terça (27) para ir às semifinais da Libertadores

Luís André Rosa

Com o estilo copeiro do técnico Felipão, que foi campeão assim da Taça Libertadores com Grêmio e Palmeiras, o Verdão bateu o oponente, por 1 a 0, nesta terça-feira (20), na casa do rival, e abriu vantagem na disputa das quartas de final.

Para se classificar às semifinais da competição, o Verdão precisa de um empate, na próxima terça-feira (28), no Pacaembu. O Tricolor gaúcho tem que vencer por dois gols de diferença ou por um tento a mais, a partir do placar de 2 a 1.

Gustavo Scarpa comemora o gol do Palmeiras
O meia-atacante Gustavo Scarpa comemora o seu gol, que deu a vitória ao Palmeiras no primeiro jogo das quartas de final da Taça Libertadores, disputado na Arena do Grêmio. - Cesar Greco/Ag. Palmeiras

A proposta tática foi fiel às convicções dos dois treinadores. O ex-zagueiro Luiz Felipe Scolari, no Palmeiras, colocou os seus jogadores para correrem atrás da bola. O ex-atacante Renato Gaúcho fez a equipe gremista rolar a bola, de preferência, de pé em pé à espera de uma penetração na área.

Nesse embate, o time mandante controlou as ações e apresentou mais apetite em tentar abrir o marcador, mas as três linhas de defesa do Verdão ofereceram poucos espaços para o adversário entrar na área.
A maneira de tentar incomodar o visitante foi com os chutes de longa distância, mas faltou precisão e potência para chegar à meta do goleiro Weverton.

Aos palmeirenses, quando tentaram atacar, eles usaram da arma preferida por Felipão, com ligação direta da defesa para o ataque e cruzamentos para a área em lances de bola parada.

Só que o Palmeiras abriu o placar em um lance pouco usual dessa equipe, confirmado pelo autor do tento, que foi orientado a não chutar, pois estava longe.

Em cobrança de falta da intermediária, aos 31min, Gustavo Scarpa arriscou uma finalização potente após Marcos Rocha rolar a bola. O míssil mandou a bola com tamanha força, que não houve como o goleiro Paulo Victor defender. Ele ainda viu ela bater no travessão antes de entrar na sua meta. Incrédulo, Renato Gaúcho fixou o seu olhar no seu arqueiro, dando a entender que a bola poderia ter sido defendida.

Foi o décimo gol de Scarpa na temporada. Desses, o camisa 14 anotou seis na disputa dessa Libertadores, que faz dele artilheiro da do Verdão no ano e um dos goleadores da competição, empatado com dois jogadores que já estão eliminados, Marco Rúben (Atlético-PR) e Adrián Martínez (Libertad).

Na etapa final, com o adversário escancarado, o Palmeiras teve chances para matar o adversário. Primeiro, em uma cobrança de lateral de Marcos Rocha, a bola chegou a Dudu, que, de cabeça, só não marcou porque o goleiro Paulo Victor fez uma grande defesa. Depois, em um contragolpe, Dudu tirou do arqueiro, mas a bola na trave e foi para a fora.

O momento de maior tensão veio com a  expulsão de Felipe Melo, aos 32min, pelo segundo cartão amarelo. Abalado, o volante deixou o campo chorando. Sem o camisa 30, a equipe se fechou ainda mais e evitou que o Grêmio empatasse a apresentação.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.