Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão - Vexame na ZL: Corinthians apanha da bola e do Del Valle

Vitor Guedes
São Paulo

Desilusão, desilusão, danço eu, dança você... Alô, povão, agora é fé! O Corinthians, que poupou titulares e tratou a Sul-Americana como prioridade, voltou a apresentar o futebol mequetrefe do Brasileirão, apanhou de 2 a 0 do Independiente del Valle, na ZL, e mostrou não ter a menor condição de dar o troco na próxima quarta, na altitude de Quito. Exceção feita a um arremate de Mateus Vital na trave, lance isolado, a equipe não produziu bulhufas no primeiro tempo. E, mesmo com o apoio da Fiel, que fez uma grande festa para receber a equipe e incentivou o tempo todo, foi sempre inferior aos visitantes.

Gabriel Torres comemora o primeiro gol do Independiente del Valle em Itaquera, enquanto Júnior Urso (à esq.) e Manoel lamentam
Gabriel Torres comemora o primeiro gol do Independiente del Valle em Itaquera, enquanto Júnior Urso (à esq.) e Manoel lamentam - Nelson Almeida/AFP

Os equatorianos poderiam ter saído na frente já no tento contra de Gil, mas Dájome, como assinalou o bandeirinha na hora (e depois de uma novela interminável de 5 minutos teve sua marcação reiterada pelo lixo do VAR), estava em impedimento. Mas quando Torres foi à rede, já no ocaso da etapa, nem o circo eletrônico salvou.

Não dava para voltar com o mesmo time, e Fábio Carille mexeu em dose dupla: Matheus Jesus e Gustagol nos lugares de Gabriel e Clayson. Mas se enganou quem pensou que não dava para piorar. Com boa vontade, ficou a mesma porcaria. Pouca criatividade na frente; atrás, um convite ao prazer. Pedrinho botou o goleiro para trabalhar, Love teve chance, mas perigoso, mesmo, foi o Del Valle. Na segunda chance, Torres ampliou, definiu a vitória e selou a sorte no confronto.

Pior que o placar foi o futebol patético! Vexame alvinegro em Itaquera! 

O Athletico-PR venceu novamente o Inter, fez 2 a 1 no Beira-Rio e é o campeão da Copa do Brasil. Guerrero, que prometeu que, no Brasil, só jogaria no Corinthians, mostrou, novamente, ser um homem de palavra e não aparecerá no DVD da conquista.

Parabéns, Furacão!

Voltaire: “Teria maior confiança no desempenho de um homem que espera ter uma grande recompensa do que no daquele que já a recebeu”.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.