Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Não há orçamento que resolva quando há carência de alma!

São Paulo

Bananas de Pijamas, aprontaram pra valer, bananas de pijamas, dizem adeus pra você... Alô, povão, agora é fé! Da série "lalaiá, lalaiá, lalaiá", os rivais fazem pilheria com o coro de que o Palmeiras "não tem Mundial, não tem Copinha, não tem Mundial", mas o problema palmeirense atual é outro: o Palmeiras não tem alma! A questão não é nem gastar os tubos e passar o ano sem ganhar nada, nem mesmo um mísero Dérbi. 

Mano Menezes esbraveja contra a arbitragem na derrota do Palmeiras para o Fluminense, no Maracanã, pelo Brasileirão
Mano Menezes esbraveja contra a arbitragem na derrota do Palmeiras para o Fluminense, no Maracanã, pelo Brasileirão - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O problema, gravíssimo, é perder completamente a identidade e, pois, a torcida que canta, vibra e corneta não enxergar a Sociedade Esportiva Palmeiras nas vitórias, nos empates nem nas derrotas. Foi o caso do tropeço de ontem, 1 a 0 para o ex-desesperado Fluminense, golaço de Marcos Paulo, placar, modesta e precisamente, "antecipado" por Caneladas do Vitão.

Mano Menezes, que foi contratado em claro desrespeito à massa alviverde, que era, de forma quase unânime, contrária à contratação do treinador, visto pela torcida como "corinthiano", para o lugar de Luiz Felipe Scolari, ídolo histórico palmeirense, não tinha o direito de não colocar força máxima do Fluminense sem a anuência do presidente Mauricio Galiotte e do gerente remunerado Alexandre Mattos. Se fez essa palhaçada foi porque superiores concordaram ou não mandam nada!

Enquanto o Flamengo é campeão brasileiro e da América jogando com todo mundo em todos os jogos, sem a fronhice patética de poupar jogador, Mano, que só está "disputando" (já perdeu, é verdade) o Brasileiro, passou vergonha contra o Fluminense e foi derrotado para preservar atletas para o amistoso de domingo contra o Flamengo. É um escárnio. Com o agravante, extra, que a estratégia não significa vitória. A mesma ideia, absurda, foi adotada recentemente e, mesmo assim, não foi suficiente para derrotar o Corinthians.

Não há orçamento que resolva a carência de alma!

Guimarães Rosa: "Para ódio e amor que dói, amanhã não é consolo".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

42 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.