Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Recém-transplantado aguarda medicamento de alto custo

Aposentado espera remédio que reduz risco de rejeição do órgão

Ana Paula Branco Havolene Valinhos
São Paulo

O aposentado Valdir Oliveira, 63 anos, de Guarulhos (Grande SP), conta que fez um transplante renal e tem que tomar o medicamento tracolimo de 1 mg duas vezes ao dia.

O leitor reclama que o remédio está em falta na farmácia de alto custo desde 1º de abril. “Como eu, há milhares de pessoas na mesma situação. Precisamos de ajuda”, queixa-se.  

Usuários da Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana formam fila para serem atendidos
Usuários da Farmácia de Alto Custo da Vila Mariana formam fila para serem atendidos - Rivaldo Gomes -11.jan.19/Folhapress

Redistribuição foi concluída, diz estado

A Coordenadoria de assistência farmacêutica diz que o medicamento tacrolimo 1 mg é comprado e enviado aos estados pelo Ministério da Saúde. Um novo lote foi entregue em 16 de abril. A redistribuição para as farmácias do interior, litoral e Grande SP foi concluída.

Veja outras reclamações

Universidade Cruzeiro do Sul

O professor Douglas Diniz Curcino, 43 anos, de Rio Grande da Serra (Grande SP), concluiu a pós-graduação em docência do ensino superior pela Universidade Cruzeiro do Sul. De acordo com o leitor, o prazo para a entrega do diploma, de 81 dias úteis, expirou e ele não recebeu o documento até agora.

“Nem a minha requisição foi averiguada, pois consta como pendente no site. O pior é que não há canal online nem telefone para eu entrar em contato”, diz.

Curcino já havia procurado o Agora, no ano passado, para que a universidade disponibilizasse quatro disciplinas do curso, na modalidade EAD (ensino a distância). "A universidade só resolveu depois do contato do jornal."

Resposta

Em nota de sua assessoria de imprensa, a Universidade Cruzeiro do Sul informa que o certificado do aluno Douglas Diniz Curcino está disponível. Segundo a empresa, o documento poderá ser retirado em seu polo.

Douglas Curcino, em novo contato com a reportagem do Agora, contou que recebeu um email da faculdade na última segunda-feira, 22 de abril.

“Fui ontem de manhã retirar o diploma. Muito obrigado pela atenção que o jornal me deu”, disse o leitor.

Pernambucanas

A contadora Cacilda Ramos, 61 anos, de Peruíbe (135 km de SP), diz que tem um seguro residencial do cartão Pernambucanas e, em fevereiro, sua casa foi roubada, inclusive o cartão de crédito da loja. “Os ladrões levaram tudo e sacaram R$ 1.000 no cartão. Não pagaram a indenização e ainda estão cobrando juros porque não paguei esse valor.” 


Resposta 

As Pernambucanas informam que entraram em contato com Cacilda Ramos e explicaram que o seguro residencial contratado não tem cobertura para esse tipo de evento. A empresa diz que a consumidora está ciente de que o processo de contestação foi negado.
 


Motorola

O construtor Joel Alves Pereira, 64 anos, da Vila Alpina (zona leste), afirma que, no dia 8 de abril, deixou seu celular em uma autorizada da Motorola porque estava travando. O leitor diz que, no dia seguinte, recebeu um email da marca para retirá-lo. “Em 10 de abril, me entregaram um aparelho com a tela quebrada e disseram que houve mau uso.” 

Resposta

A Motorola lamenta o ocorrido e informa que o caso foi solucionado de forma definitiva. A empresa diz estar à disposição. Em novo contato com o Agora, Joel Alves Pereira confirmou que a empresa prometeu consertar o celular sem custo.

CET

O aposentado Jorge Alberto Carneiro de Souza, 56 anos, do Jardim Egle (zona leste), afirma que, desde 9 de abril, o farol do cruzamento da avenida Arquiteto Vilanova Artigas com a rua Gaia está apagado. Souza diz que entrou em contato com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) para relatar a falha, mas nenhuma equipe compareceu ao local.

Resposta

A CET diz que os semáforos da avenida Arquiteto Vilanova Artigas com a rua Gaia foram restabelecidos na manhã do dia 22 de abril. Segundo a companhia, nos últimos 30 dias, houve duas ocorrências de semáforos apagados por causa de furto de cabos neste cruzamento.

TIM

O aposentado José Carlos dos Santos, 72 anos, do Parque São Paulo (zona sul), conta que fez um plano da TIM pelo qual pagaria R$ 58, mas recebeu faturas com valores bem acima do acordado. O leitor diz que, ao reclamar com a operadora, foi informado de que o valor seria corrigido, porém não foi. “Faz mais de três meses que eles cobram a mais. É absurdo.” 

Resposta

A TIM afirma que o cliente possuía o plano TIM Pós B Plus, com desconto de 60% por 12 meses. Após o final desse período, o plano passou ao valor integral. A operadora diz que, em acordo com Santos, mudou para o plano Controle com desconto fidelizado por 12 meses.
 

Prevent Senior

A aposentada Neuza da Costa Esteves, 77 anos, da Liberdade (região central), diz que seu médico endocrinologista pediu exames de sangue, mas, há mais de 15 dias, ela tenta marcar a consulta de retorno para levar os resultados. “Já reclamei com a Prevent Senior e agendaram com uma médica de outra especialidade. Não aceito”, queixa-se.
 

Resposta

A Prevent Senior afirma que entrou em contato com a leitora para prestar-lhe os esclarecimentos necessários e a deixou ciente de que a empresa está à disposição. “Agendaram o meu médico para o dia 13 de maio”, contou Neuza.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.