Funcionalismo: servidores federais preparam greve

Categoria vai protestar contra reforma da Previdência, em 14 de junho, junto com centrais sindicais

Cristiane Gercina
São Paulo

Os servidores federais representados pela Condsef (confederação da categoria) deverão participar da greve geral convocada pelas centrais para 14 de junho.

Greve geral no Brasil, em 2017, parou várias cidades no dia 28 de abril; na foto, motoboys protestam contra as reformas da Previdência e trabalhista - Rubens Cavallari/Folhapress

Segundo a confederação, a mobilização deve crescer nesta semana, quando começam as assembleias regionais para definir as estratégias de paralisação.

O principal motivo da greve é protestar contra a reforma da Previdência proposta pelo governo. Mas, os funcionários públicos afirmam que as recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou em Dallas (EUA) que o país está à venda, reforçaram a mobilização. 

 

Reforma da Previdência

Na reforma, dentre as principais alterações para os servidores públicos federais está a necessidade de se chegar a uma idade mínima de 65 anos, para os homens, e de 62 anos, para as mulheres, para conseguir receber o benefício com integralidade (valor do último salário) e paridade (reajuste igual aos da ativa), para quem entrou até dezembro de 2003. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.