Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Reparo de buraco na zona leste demora; veja outras reclamações

Leitor afirma que fez o pedido na Prefeitura de São Paulo em março

Ana Paula Branco

No final de março, o aposentado Walter dos Santos Filho, 80 anos, da Vila Califórnia (zona leste), entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo para solicitar o reparo de um buraco na avenida Aricanduva, altura do número 1.400.

Ônibus passando em buraco na avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, sentido Sapopemba, na zona leste de São Paulo
Ônibus passando em buraco na avenida Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello, sentido Sapopemba, na zona leste de São Paulo - Rivaldo Gomes/Folhapress


“Eles me deram o prazo de 45 dias para tampar o buraco. Até o momento, não compareceram nem deram satisfação”, afirma o leitor à reportagem.

A maior preocupação do munícipe é com a estrutura de sua casa, que fica na avenida Aricanduva e parece estar sendo abalada pela falha no asfalto.

“Passam muitos carros, ônibus e caminhões nessa rua e minha casa treme. As paredes já estão com algumas rachaduras”, relata.

“Preciso que tomem alguma providência, parece que minha casa vai cair. Chamei um pedreiro para fazer uma amarração, porque uma parede abriu. Estou desesperado”, diz.

“É absurdo eles não resolverem depois de tanto tempo que abri a solicitação”, queixa-se.

SPTrans: 156

SPTrans faz  o serviço no pavimento

Em nota, a SPTrans afirma que o serviço de reparo no pavimento da faixa exclusiva de ônibus na avenida Aricanduva será realizado nesta semana.

Em novo contato com o Agora, o leitor Walter dos Santos Filho disse que o reparo foi feito na madrugada desta terça-feira (4). “Agradeço muito ao jornal.”

Outras reclamações

Prefeitura de SP

O aposentado Francisco Nogueira de Souza, 68 anos, de Itaquera (zona leste), diz que aguarda o reparo de um buraco na rua em frente da sua casa, na rua Professor Brito Machado. Ele reclamou ao Agora, no início do mês passado. Na ocasião, a prefeitura disse que faria uma vistoria. “Não compareceram”, disse.

Resposta A Subprefeitura de Itaquera afirma que o local já foi vistoriado e o serviço de tapa-buraco será executado na primeira quinzena de junho. Ao Agora o leitor ressaltou que, desde março, solicita o reparo à administração. “O prazo era de 45 dias.”

TIM 

O aposentado Reginaldo Purpura, 68 anos, de Mongaguá (89 km de SP), afirma que, há dois meses, reclama com a TIM sobre valores que estão sendo cobrados a mais em seu plano. “Eu pago o valor combinado, de R$ 39,99, e querem cobrar mais. Ficam de analisar e entrar em contato, mas nada foi resolvido até o momento.” 

Resposta A reportagem entrou em contato com a TIM, pela primeira vez, em 16 de maio, mas não obteve retorno sobre este caso até a conclusão desta edição. Ao Agora o leitor disse que não recebeu retorno da empresa. “Estão cobrando R$ 49,99.”

Extra

O técnico de enfermagem José Roberto de Oliveira, 67 anos, de Carapicuíba (Grande SP), questiona o procedimento do Extra, no centro. Segundo ele, para comprar carne, o cliente faz o pedido no açougue, pega uma ficha, faz o pagamento no caixa e uma funcionária vai buscar o produto. “Nunca vi isso.”

Resposta O Grupo Pão de Açúcar afirma que o atendimento mediante senhas não é o padrão recomendado pela companhia e esclarece que solicitou à loja que não faça mais dessa forma.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.