Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cielo cobra mensalidade de máquina que nunca foi usada

Leitora quer devolver equipamento para empresa; veja outras reclamações

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

A costureira Sônia Regina Sobral de Godoy, 59 anos, de Guarulhos (Grande SP), reclama que vem tendo problemas com a Cielo e quer devolver sua máquina de cartão de crédito da empresa. 

“Tudo começou quando abri uma conta jurídica para minha loja. Por causa disso, me ofereceram também uma máquina de cartão de crédito da Cielo. Disseram que eu não pagaria e aceitei o equipamento. Como não abri a loja ainda, nunca utilizei a máquina, mas fiz um teste para confirmar se ela estava funcionando.Deste então, a Cielo vem cobrando uma mensalidade pelo equipamento”, queixa-se Sônia.

A leitora conta que tentou várias vezes resolver a situação pelo SAC da empresa, mas nunca foi atendida. “Pedi o cancelamento e a devolução da máquina, mas não tive resposta. O caso está em aberto e agora querem me cobrar R$ 629 por uma máquina nunca usada e que eu nem sabia que cobrava mensalidade”, diz a costureira. (LB)

São Paulo, SP, Brasil, 24-01-2019: Moedas de diversos países. Moeda. Dinheiro. (foto Gabriel Cabral/Folhapress)

Empresa retira equipamento e quita débito

A Cielo informa que entrou em contato com a leitora e já realizou a retirada da máquina. A empesa diz ainda que liquidará o valor pendente de R$ 629,50 relacionado à cobrança indevida de mensalidades de fevereiro a junho. A Cielo afirma que lamenta o ocorrido e diz permanecer à disposição da costureira.

Outras reclamações

Extra.com  

O gerente comercial Joseilton Soares de Sousa, 52 anos, de Campos Elíseos (região central), afirma que, em julho, comprou um home theater no site do Extra, por R$ 749. Segundo o leitor, o aparelho apresentou defeito dois dias após ter sido entregue. “O equipamento começou a desligar sozinho. Liguei para o Extra para trocar, mas não fui atendido.” 

RESPOSTA

O Extra.com informa, por meio de nota, que em sistema consta que a troca do produto foi concluída. “Não trocaram”, disse o leitor.

C&C 

O aposentado Pedro José dos Santos, 66 anos, de Ribeirão Preto (313 km de SP), reclama que aguarda há dois meses que a C&C libere um cupom de compras no valor de R$ 250. “O cupom vencerá neste mês e, até agora, não foi liberado pela empresa. Acho uma falta de comprometimento fazer isso com um cliente. Porque então ofereceram o desconto se não posso usá-lo? Isso é ridículo”, afirma Santos. 

RESPOSTA

A C&C Casa informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com o leitor e esclareceu o caso para uma melhor experiência com a marca.

Carrefour 

A costureira Maria Neide dos Santos Alves, 54 anos, conta que tem uma dívida de cartão de crédito do Carrefour, mas a empresa não quer renegociar o valor. “Eles estão irredutíveis, mas não consigo mais pagar o valor cobrado. Preciso de uma negociação urgentemente”, diz a costureira. 

RESPOSTA 

O Carrefour informa, em nota enviada por assessoria, que entrou em contato com a leitora e ofertou propostas de parcelamentos para facilitar o pagamento de sua dívida, sem cobrar juros. A cliente afirmou que irá avaliar e retornará com uma resposta para a empresa. 

Departamento de Operação do Sistema Viário

Há um mês estou tentando tirar cartão de estacionamento para idoso pela internet, mas não consigo. Preencho tudo, mas na hora de finalizar aparece mensagem falando que eu não resido em São Paulo. É um absurdo", diz Marco Antonio Zilzke, 75 anos

RESPOSTA 

O DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário) informa, por meio de sua assessoria, que havia um erro no preenchimento no formulário para obtenção do cartão, no campo referente à indicação da cidade de residência do leitor. (HV)

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.