Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitor aguarda cirurgia em hospital estadual há três meses

Cabeleireiro conta que está internado, sem data definida para o procedimento; veja outras queixas

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

O cabeleireiro Mauro Henrique de Oliveira, 57 anos, de Carapicuíba (Grande SP), conta que está há 90 dias esperando por uma cirurgia cardiológica no Hospital Pirajussara.

“Fiz um cateterismo na unidade, mas o procedimento não deu certo. Fui transferido para outro hospital, onde estou internado agora, com a promessa de voltar futuramente para o Pirajussara e fazer a cirurgia cardiológica. Mas, desde então, já se passaram 90 dias e ainda não agendaram a data do meu procedimento. 

Segundo Oliveira, o Hospital Pirajussara o informou que ele está em uma fila aguardando vaga para a cirurgia, mas que, por enquanto, não há uma data definida para o atendimento. 

“Enquanto isso, estou internado sem saber o que será da minha vida. Já fui até para UTI. Não aguento mais essa situação”, afirma.

“É um descaso sem fim. Conto com a ajuda do Agora para conseguir marcar enfim essa data.” 

Oliveira já chegou a ir para a UTI; ele segue sem saber a data em que fará a cirurgia cardiológica da qual necessita - Lalo de Almeida/ Folhapress

Procedimento foi marcado para segunda

O Hospital Geral de Pirajussara informa, em nota enviada por assessoria de imprensa, que o paciente Mauro Henrique de Oliveira tem cirurgia cardiológica agendada para o dia 5 de agosto na unidade. 
Em novo contato com o Defesa do Cidadão, o leitor confirmou o agendamento da cirurgia.

Outras reclamações ​

Vivo  

Aurivaldo Pereira de Brito Filho, 45 anos, do Jardim Bartira (zona leste), conta que era assinante de um plano Controle da Vivo, mas cancelou o serviço por estar descontente com o sinal de internet. Porém, o leitor reclama que a empresa continua fazendo cobranças. “Tentei ligar várias vezes para resolver isso, mas não obtive sucesso.” 


Resposta 

A Vivo informa, por meio de nota, que entrou em contato com o cliente para prestar os esclarecimentos necessários. A operadora diz ainda estar à disposição por meio da central telefônica 10315 (fixa) e *8486 (móvel), das lojas físicas e do SMS.


Itaú 

A professora Selma Patrícia de Almeida Moreira, 47 anos, da Vila Granada (zona leste), afirma que tem um seguro do Itaú contra roubo de celular. A leitora relata que foi assaltada, registrou boletim de ocorrência, mandou todos os documentos solicitados e foi informada que receberia o reembolso em dois dias úteis, o que não ocorreu. 


Resposta 

O Itaú Unibanco esclarece que a questão foi solucionada e que o pagamento da indenização referente ao sinistro foi creditado na conta- corrente informada pela leitora. O banco diz ainda estar à disposição para prestar esclarecimentos.

Santander

A funcionária pública Gisele Marcone, 37 anos, de São Bernardo do Campo (ABC), conta que recebe seu salário pelo Santander e tem um débito com o banco. “Fiz a portabilidade para outra instituição, mas continuam descontando todos os meses um valor da minha conta. Gostaria de negociar.” 


Resposta 

O Santander informa que as amortizações feitas em conta fazem parte das condições gerais do produto e que propôs uma renegociação com condições especiais, que não foram aceitas pela cliente.

Caixa Econômica

"Minha reclamação é contra a Caixa Econômica. Fiz um empréstimo em 12 vezes de R$ 260. Porém, faltando três parcelas, não consegui pagar mais. Estou tentando um acordo para refinanciar a dívida, porém, dizem que não posso fazer essa renegociação", diz Luiz Antonio da Silva


Resposta 

A Caixa informa, em nota, que o cliente Luiz Antonio da Silva liquidou sua dívida com pagamento único de boleto. O banco diz ainda estar à disposição.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.