Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cliente diz que Vivo cancelou sua linha de telefone

Leitora afirma que recebeu uma oferta para trocar de plano, mas não aceitou. Porém, dias depois, o serviço parou de funcionar

Havolene Valinhos
São Paulo

A dona de casa Roseli Franzin Lopes, 52 anos, da Vila Prudente (zona leste), conta que, no final de agosto, recebeu uma ligação da Vivo oferecendo a mudança de plano de telefone fixo e a inclusão dos serviços de internet e de televisão. 

A leitora relata que explicou ao representante da operadora que a linha fica na casa de seu pai, que é idoso, e a família não tinha interesse em alterar o plano. Segundo Roseli, depois de muita insistência dele, ela afirma ter desligado o telefonema antes de finalizar a conversa. 

“O funcionário da Vivo foi muito insistente. Não aceitei de maneira nenhuma a troca de plano. Até porque temos essa linha desde a década de 1980. Todos os agendamentos de consultas para o meu pai são realizados por esse número. Como se diz, Deus e o mundo têm esse número”, afirma.

A dona de casa Roseli Franzin Lopes, 52 anos, conta que a operadora prometeu reativar a linha em 24 horas, o que não ocorreu até o momento  - Rivaldo Gomes/Folhapress

Porém, depois de alguns dias ela percebeu que a linha não estava funcionando. Roseli conta que entrou em contato com a central de atendimento da operadora para reclamar e foi informada de que a linha fora cancelada. 

“Isso é um absurdo. Não solicitei ou autorizei o cancelamento da linha e eles fazem isso. É inaceitável”, queixa-se à reportagem.

A dona de casa conta que a operadora prometeu reativar o serviço em 24 horas. “Depois, falaram em três dias, mas a linha permanece muda. Peço a intervenção do Defesa do Cidadão.”

Operadora analisa situação

A Vivo informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que o caso da cliente Roseli Franzin Lopes está em análise com a área técnica. 

A operadora diz ainda estar à disposição de seus consumidores por meio da central telefônica 10315 (fixa) e *8486 (móvel), das lojas físicas e do SMS.

Em novo contato com o Agora, a leitora disse que aguarda a solução da situação o mais breve possível. “Não entendo essa demora”, afirmou Roseli.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.