Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Paciente aguarda consulta há 2 meses; veja outras reclamações

Operadora de caixa afirma que precisa passar em cirurgião de cabeça e pescoço

Havolene Valinhos Laíssa Barros
São Paulo

A operadora de caixa Letícia Freire dos Santos Paes, 28 anos, de Guarulhos (Grande SP), conta que, há aproximadamente dois meses, está tentando marcar uma consulta com um cirurgião de cabeça e pescoço no Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual), mas não consegue.

Sala de recepção lotada e com pacientes sentados no chão no pronto atendimento do Hospital do Servidor Estadual, Iamspe, na Vila Clementino.
Sala de recepção lotada e com pacientes sentados no chão no pronto atendimento do Hospital do Servidor Estadual, Iamspe, na Vila Clementino. - Alfredo Henrique/Folhapress, 1º Set.2018

A leitora relata que, em julho, surgiu um nódulo no pescoço e seu rosto ficou inchado. “Passei no pronto socorro do Iamspe e recebi o encaminhamento para  o cirurgião, porém, continuo esperando uma avaliação.”

A leitora afirma que ligou para a rede credenciada, mas, até o momento, não conseguiu o atendimento necessário. “Nenhuma clínica tem esse especialista”, diz a operadora de caixa à reportagem.

Letícia conta que, diariamente, entra em contato com a central do Iamspe, mas todas as vezes é informada de que não há vaga.

“Isso é inaceitável. Eles pedem para ligar no dia seguinte, mas nunca consigo marcar. Preciso da intervenção do Defesa do Cidadão. Não posso ficar esperando para sempre”, afirma.

 Iamspe: (11) 5583-7001

Iamspe marca atendimento para o dia 20

O Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com Letícia Freire dos Santos Paes e que a consulta com o cirurgião solicitado está agendada para o dia 20 de setembro.

Em novo contato, a leitora confirmou a informação. “Irei no dia agendado.”

__________________________________________________________________________

Veja outras reclamações

Vivo

O aposentado Luiz Gonzaga Maia Souto,66 anos, de Santo André (ABC), conta que, desde abril, solicita a transferência de titularidade de sua linha telefônica da Vivo, mas não é atendido. “Já enviei duas vezes as documentações, cumprindo todas as exigências para a transferência. Até agora as contas continuam vindo em meu nome, por isso recorro ao auxílio do Agora.” 

Resposta

A Vivo informa que entrou em contato com o consumidor e ele está ciente das tratativas realizadas. Em novo contato com o Agora, o leitor confirmou a solução do caso. 

Brastemp

O engenheiro Felipe Tadeu Faria, 35 anos, do Jardim Anália Franco (zona leste), afirma que, em 19 de junho, realizou uma compra de um frigobar no site da Brastemp. O leitor relata que o produto foi entregue no dia 5 de julho e, como estava com o pé amassado, foi devolvido. A segunda entrega foi programada para o dia 16 de agosto, mas o frigobar entregue também está amassado. 

Resposta

A Brastemp esclarece, por meio de nota, que irá realizar troca, conforme acordado com o consumidor. Ao Agora o leitor confirmou a troca do produto.

Cotia

O aposentado João Domingos Reghini, 66 anos, de Cotia (Grande SP), reclama que pediu a isenção da contribuição de iluminação pública, pois o endereço em que mora não é beneficiado pelo serviço, mas nunca recebeu uma resposta da prefeitura da cidade sobre o assunto. “Tenho inúmeros protocolos e nenhuma resposta. Isso é uma falta de respeito com o morador”, queixa-se o aposentado. 

Resposta

Até o fechamento desta edição a Prefeitura de Cotia não havia se manifestado sobre o caso.

Metrô

Abenildo Feitoza conta que estava com seu cachorro na estação Tamanduateí e foi usar o banheiro do local. "Deixei o animalzinho dentro de sua caixa de transporte em frente ao banheiro e, quando voltei, o cachorro havia sumido."

Resposta

O Metrô informa que as imagens e a identificação da pessoa que furtou o cachorro foram entregues no 17 Distrito Policial, como determina a lei. A empresa diz ainda que pediu para que o leitor compareça à delegacia e passe a acompanhar o caso pessoalmente. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.