Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cliente pede reembolso de hospedagem; veja outras reclamações

Psicóloga afirma que, desde julho, aguarda devolução da grana paga

Havolene Valinhos
São Paulo

A psicóloga Lilian Vieira Fernandes, 37 anos, do Morumbi (zona sul), conta que comprou um pacote no Submarino Viagens no valor de R$ 13 mil para Orlando (EUA) e, em 20 de julho, solicitou o cancelamento de parte do negócio por motivo de doença.

Página do site Submarino Viagens
Página do site Submarino Viagens - Reprodução 12 Set.2018

A leitora relata que, após a apresentação de laudo médico, o pedido foi atendido pela cia aérea sem a cobrança de multas, mas reclama que o Submarino Viagens ainda não lhe deu um retorno sobre o reembolso. 

“Fiz a reserva do hotel, mas três dos quatro hóspedes não puderam viajar. Fui informada pela Submarino Viagens de que as alterações haviam sido realizadas, mas quando cheguei ao hotel não tinha reserva, tive que pagar as diárias.”

Lilian relata que solicitou o cancelamento do pedido por motivo de quebra de contrato e prestação de serviço, uma vez que não existia a reserva de hotel na data contratada. “Recebi um email confirmando o cancelamento, mas depois disseram que a minha tarifa não era reembolsável e que eu não teria nada a receber de volta. Porém, no contrato diz que a tarifa comprada tinha reembolso.” 

Submarino: (11) 3003-2989

Submarino Viagens entra em contato

O Submarino Viagens afirma que entrou em contato com a cliente e esclareceu os procedimentos que estão sendo adotados para a análise do reembolso. A empresa diz que está tratando o caso com prioridade e a manterá informada.

Veja outras reclamações

Claro

O aposentado Carlos Dias, 60 anos, de Pirituba (zona norte), conta que, em julho, recebeu uma oferta da Claro, por telefone, para testar uma mudança para outro plano. Segundo o leitor, a condição seria que, até agosto, ele poderia voltar ao plano anterior caso não gostasse do novo. “Não gostei e liguei várias vezes para a operadora informando que queria voltar ao plano antigo. Me ignoraram e já enviaram faturas com o novo valor.” 

Resposta

A Claro informa que entrou em contato com o cliente e solucionou o caso. “Deram desconto por um ano para que eu não cancelasse o plano.” 

Vivo 

O aposentado Gildo da Silva, 56 anos, do Jardim Joana D’Arc (zona norte), afirma que é assinante da TV da Vivo. Até junho, pagava R$ 149, mas foi informada de que, a partir de agosto, subiria para R$ 221. “Por isso, solicitei a mudança para um pacote mais em conta. Pagaria R$ 109, mas, em setembro, a empresa enviou uma fatura no mesmo do pacote anterior, no valor de R$ 220. Já registrei reclamações, mas nada foi resolvido.” 

Resposta

A Vivo informa que a situação do leitor está regularizada e o consumidor está ciente das tratativas realizadas. “Estamos negociando”, disse.

Caixa 

O operador de caixa Gidalth Seiji Umezu, 61 anos, de Bauru (329 km de SP), reclama que recebe diariamente ligações da Caixa Econômica Federalpedindo para falar com uma pessoa que ele não conhece. “Há dois meses explico que estão ligando para a pessoa errada, mas eles insistem”, queixa-se. 

Resposta

A Caixa Econômica Federal informa que tentou contato com o leitor, mas não obteve sucesso. A empresa disse ainda que está à disposição se ele quiser detalhar a ocorrência.

Qualicorp

Marcos Fernandes  afirma que, em apenas 24 dias, a Qualicorp cobrou, erroneamente, duas vezes o valor da mensalidade de seu plano de saúde. "Pedi o reembolso do dinheiro, mas não existe atendimento ao consumidor de qualidade na empresa. Estou no prejuízo."

Resposta

A Qualicorp informa que entrou em contato com o leitor e prestou os devidos esclarecimentos. A empresa ressalta ainda que o caso foi solucionado e os valores devidos foram devolvidos. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.