Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Sabesp demora para pagar indenização de cliente

Leitor afirma que, em dezembro, uma tubulação da Sabesp estourou em frente à sua casa e danificou seus equipamentos

O técnico de segurança do trabalho Romildo Camilo, 57 anos, de Osasco (Grande SP), afirma que, no dia 7 de dezembro do ano passado, estourou uma tubulação de água da Sabesp em frente à sua casa.

O leitor diz que sua residência foi inundada e vários equipamentos eletrônicos foram danificados. Ele reclama que, até o momento, não foi ressarcido pela concessionária de água.

“A água danificou uma impressora, um ferro de passar, um decibelímetro (aparelho para medir ruído) que utilizo no meu trabalho, uma furadeira, um aparelho de som com duas caixas e um armário. O meu prejuízo foi enorme. Sem falar que precisei dormir dois dias na casa de parentes, uma vez que não havia condições de ficar na minha residência”, queixa-se o leitor à reportagem do Agora.

O leitor Romildo Camilo afirma que, em dezembro de 2019, uma tubulação da Sabesp estourou e inundou sua casa. Desde então, ele tenta receber a indenização pelos aparelhos danificados - Arquivo pessoal

O técnico de segurança do trabalho conta que um funcionário da Sabesp avaliou o prejuízo após quatro dias do ocorrido. “Ele deu um prazo de 90 dias para a empresa realizar o reembolso. No entanto, esse prazo venceu.”

Camilo relata que entrou em contato com a Sabesp várias vezes, mas reclama que apenas mandam aguardar. “Tenho vários protocolos de atendimento da Sabesp. Acionei também a ouvidoria, mas não tem adiantado. É um descaso”, diz.

O leitor afirma não saber mais o que fazer para ter seus direitos atendidos.

Empresa pede documentos para cliente

A Sabesp informa, em nota, que fez contato com o cliente para comunicar as devidas orientações relativas ao ressarcimento por danos materiais, incluindo a documentação necessária para continuidade dos trâmites indenizatórios.

A concessionária diz ainda estar à disposição pelos telefones 195 e 0800-0550195 (ligações gratuitas), pelo site www.sabesp.com.br ou pelo aplicativo da Sabesp para smartphones com sistemas operacionais Android e iOS.

Em novo contato com o Agora, o leitor disse que a Sabesp prometeu resolver o caso em breve. “Espero que realmente solucionem.”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.