Motorista de Porsche acusado de atropelar e matar diarista se entrega

Caso ocorreu no último dia 26, em São Paulo; acusado já havia sido condenado pelo mesmo crime

Renato Fontes
São Paulo

O empresário do setor imobiliário Fábio Alonso de Carvalho, 39 anos, acusado de atropelar e matar uma idosa na sexta-feira (26), nos Jardins (centro da capital paulista), se apresentou no início da noite desta segunda-feira (29) no 78º DP (Jardins).

Porsche Panamera que teria atropelado uma diarista no último dia 26, nos Jardins (região central de São Paulo) - Divulgação/Polícia Civil

O suspeito dirigia um Porsche Panamera e teria passado no sinal vermelho – a mulher, a diarista Audenilce Bernardina dos Santos, 65, atravessava a rua na faixa de segurança.

O pedido de prisão temporária de Carvalho foi aceito pela Justiça no sábado. Ele foi indiciado por homicídio doloso e deixou a delegacia com a cabeça coberta por uma blusa para fazer exames de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal). Depois seria levado ao 2º DP (Bom Retiro, no centro).

O empresário já havia sido condenado por um crime semelhante, ocorrido em 2014, quando atropelou e matou um motoboy, também com um carro de luxo, um Mustang.

Pelo atropelamento anterior, Carvalho foi condenado a 2,8 anos de prisão. De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, a sentença saiu 13 de maio passado por conta do atropelamento seguido de morte do motoboy Aroldo Pereira Oliveira, 30, no Itaim Bibi (zona oeste da capital paulista).

Segundo a sentença, Carvalho estava proibido de obter carteira de habilitação, ou conduzir qualquer veículo, pelo mesmo período da pena. “Fica substituída a pena privativa de liberdade por duas restritivas de direito, quais sejam, a) prestação de serviços à comunidade, por igual prazo e, b) prestação pecuniária no valor de 20 salários mínimos em favor de entidade pública ou privada com destinação social”, diz trecho da decisão da 13ª Vara Criminal.

O delegado Júlio César Geraldo afirmou que o motorista poderia dirigir, porque coube recurso na sentença do atropelamento anterior. O policial disse que foram feitas buscas em 20 endereços desde a última sexta-feira para tentar achar Carvalho.

Segundo o delegado, a defesa do empresário afirmou que ele não havia bebido, que voltava de um restaurante que fica aberto durante a madrugada e que não estava em alta velocidade na hora do acidente.
 
Ainda segundo a polícia, o motorista afirmou que não se apresentou antes, pois teria sido aconselhado por amigos para esperar e por não estar sem suporte de advogado. "Só se apresentou após saber que estava sendo procurado", afirmou o delegado, que vai ouvir mais mais testemunhas e colher imagens 

Lembre o caso

Um morador de rua, 53 anos, testemunhou o atropelamento da diarista. Segundo ele disse à polícia, Audenilce Bernardina dos Santos atravessava a rua, com o semáforo fechado para veículos, quando o carro de luxo avançou em altíssima velocidade, atingindo a idosa. Ela foi projetada cerca de 15 metros, segundo boletim de ocorrência.

Uma diarista de 65 anos morreu após ser atropelada por um Porsche Panamera, no momento em que atravessava a faixa de pedestres, por volta das 6h desta sexta-feira (26) na região dos Jardins (região central da capital paulista) - Arquivo pessoal

Na sequência, o motorista desceu do carro, verificou o que havia acontecido, e fugiu com o Porsche pela Alameda Itu, sem prestar socorro. 

Audenilce chegou a ser encaminhada ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu durante o trajeto. 

Câmeras de segurança registraram o crime, corroborando a versão da testemunha de que o carro estava em alta velocidade e que o motorista não prestou socorro à vítima. 

O carro suspeito foi encontrado na garagem de um flat na Alameda Jaú. Segundo a polícia, após o acidente o motorista deixou o veículo no local e fugiu. Foi constatado por investigadores que o Porsche está com a dianteira amassada e sem o farol direito. Policiais estiveram no prédio na tarde desta sexta-feira.

Zero quilômetro, um Porsche Panamera custa R$ 560 mil.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.