PMs envolvidos na morte de quatro jovens na Grande SP são afastados

Mortes ocorreram após perseguição na noite de quarta-feira e terminou na via Dutra

Alfredo Henrique
São Paulo

Oito policiais militares, que participaram da morte de quatro jovens durante uma suposta troca de tiros, por volta das 21h desta quarta-feira (17), em Guarulhos (Grande SP), foram afastados das ruas até a conclusão das investigações sobre o caso. 

Segundo a Corregedoria da PM, foram afastados quatro policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar) e quatro do 15º Batalhão da PM, de Guarulhos. Os policiais vão prestar serviços administrativos durante as apurações sobre o tiroteio. 

Segundo a polícia, os quatro suspeitos teriam trocado tiros com a PM na altura do km 214 da rodovia Presidente Dutra, na região do bairro Cumbica. 

Carros da PM na rodovia Dutra, em SP
Carros da Polícia Militar na rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos (Grande SP) - Reprodução/TV Globo

A reportagem apurou que os quatro jovens, com idades entre 19 e 23 anos, contam com histórico criminal. Nicolas Vieira Canda já foi indiciado por roubo, desacato, receptação, fuga e por dirigir sem carteira de habilitação; Vitor Nascimento Barboza Alves conta com passagens por roubo (de veículos e pedestres), além de furtos; Leonardo Rocha de Carvalho já foi preso por furto de veículo, mesmo tipo de crime pelo qual Ronei Oliveira de Souza também foi indiciado. 

Segundo a polícia, PMs localizaram, na zona leste da capital paulista, um Hyundai HB20 prata que estaria envolvido em crimes cometidos na região e, por isso, já era monitorado pela polícia. “Solicitada sua parada, o veículo fugiu”, diz trecho do boletim de ocorrência.

Segundo o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), o veículo não consta como roubado. Dentro do carro estavam os quatro suspeitos. 

A perseguição se estendeu por cerca de 30 quilômetros, quando um pneu do HB20 estourou, na altura do km 214 da Dutra. Neste momento, segundo a PM, houve a troca de tiros. Os quatro jovens morreram no local.

Com eles, ainda de acordo com a PM, foram apreendidas uma espingarda calibre 12, uma submetralhadora, além de um colete a prova de balas.

Além da Corregedoria da PM, o caso também é investigado pelo Setor de Homicídios e de Proteção à Pessoa de Guarulhos.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.