Pai e madrasta são presos por morte de menina de 6 anos no Rio

Corpo da criança tinha marcas de tortura, segundo a polícia

Leonardo Volpato
São Paulo

A polícia do Rio de Janeiro prendeu pai e madrasta acusados de torturar e matar uma menina de seis anos. Segundo a polícia, o rapaz de 25 anos confessou o crime, e a mulher, de 20 anos, foi detida por omissão.

Foram constatadas diversas lesões no corpo da vítima. Dentre elas úlceras nos tornozelos e nas mãos, o que indica que ela era amarrada e chicoteada, e a falta de um pedaço da orelha.

A Polícia Civil afirma que o pai, em depoimento, confessou que deixava a criança amarrada para que ela não tivesse acesso aos outros filhos do casal, uma menina de dois e um bebê de cinco meses, e que as agressões eram para corrigir um suposto comportamento sexual alterado da criança. Ela já teria sido estuprada.

Segundo a polícia, o rapaz também tirou a menina da escola para que os ferimentos não fossem notados pelos professores.

Ele também contou, segundo os policiais, que utilizava de uma colher quente no fogo para machucar a criança. A vítima foi levada ao Hospital Naval Marcílio Dias, localizado na zona norte do Rio, mas já chegou morta. O pai e a madrasta foram presos ainda no local. 

A Secretaria de Estado de Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios, aponta que ambos vão responder pelos crimes de homicídio qualificado pela tortura.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.