Descrição de chapéu Centro

Prefeitura de SP amplia combate a camelôs ilegais no Brás

Operação já apreendeu 1.700 toneladas de material desde 2018

Mariangela de Castro
São Paulo

A Prefeitura de São Paulo ampliou nesta segunda-feira (26) a operação de combate a camelôs ilegais na região do Brás. Desta vez, o foco dos fiscais da gestão Bruno Covas (PSDB) é o comércio irregular de ambulantes no Largo da Concórdia, região central de São Paulo. 

A estimativa é de que cerca 3.000 camelôs atuam de forma irregular na região.

As ações de fiscalização ocorrem em uma região que conta com mais de 1.070 estabelecimentos comerciais que trabalham de modo legal e que geram ao menos 20 mil empregos de forma direta, segundo informações da prefeitura.

Participaram da operação desta segunda-feira cerca de 590 pessoas, entre guardas civis metropolitanos, policiais militares e civis, além de agentes de apoio da subprefeitura da região.

A estimativa é que pouco mais de 3.000 comerciantes ambulantes atuem nesta região sem autorização. Deste total, apenas 83 poderão permanecer no local por decisão judicial.

Desde novembro de 2018, quando teve início a fiscalização na região, já foram realizadas ações exclusivas da prefeitura e em parceria com órgãos como a Receita Federal e o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), da Polícia Civil, para combater a pirataria em depósitos e pontos de venda —shoppings, galerias, lojas e ambulantes.

 A ações resultaram na apreensão de cerca de 1.700 toneladas de material ilegal ou sem nota fiscal, como tênis, camisetas, relógios, brinquedos, eletroeletrônicos, entre outros itens.

Quem desejar atuar como ambulante nas vias da cidade de forma legal receberá orientações de equipes da subprefeitura sobre sistema eletrônico para o requerimento e expedição de autorização para o uso de vias, praças e calçadas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.