Garota que diz ter sido agredida por PM levou 50 pontos

Jovem, uma das 12 feridas no caso de Paraisópolis, tem vários hematomas e inchaços

São Paulo

Uma estudante de 17 anos que afirma ter sido agredida com uma garrafada no rosto por um policial militar na madrugada de domingo (1º) ainda não consegue falar direito por causa das lesões.

A adolescente, uma das 12 pessoas feridas, levou cerca de 50 pontos no rosto. Ela tem vários hematomas e inchaços, inclusive nas costas, onde disse ter sido agredida com cassetete.

Moradores de Paraisópolis protestam com cartazes contra a ação da PM durante baile funk na madrugada do dia 1º de dezembro - Marlene Bergamo - 12.jan.2019/Folhapress

A jovem, que mora na zona oeste de São Paulo e que foi ao baile com o namorado, está traumatizada, de acordo com a mãe.

"Eles [a garota e o namorado] disseram que iam a uma tabacaria. Por volta das 4h30 recebi um telefonema avisando que minha filha estava no hospital", disse a mãe da adolescente.

A mulher afirmou que a filha teria sido agredida quando tentava ajudar outra jovem, que estaria caída no chão e era chutada por um PM. "Ela afirmou foi ter ouvido bombas atiradas pela PM e também tiros de bala de borracha", disse a mãe. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.