São Paulo monitora 34 que tiveram contato com empresário infectado por coronavírus

Governo estadual tem telefonado diariamente para saber o estado de saúde destas pessoas, que não estão em isolamento

São Paulo

As autoridades de saúde de São Paulo estão monitorando 34 pessoas que tiveram contato com o homem de 61 anos, no primeiro caso de doença pelo novo coronavírus no Brasil. 

Segundo o secretário executivo de saúde, Alberto Kanamura, do governo João Doria (PSDB), são 30 parentes do empresário que se reuniram com ele no último domingo (23) em um almoço e quatro passageiros que estavam no avião em que ele veio da Itália —o paciente ficou no norte do país europeu entre os dias 9 e 21 passados. Eles serão monitorados por 14 dias, que é o tempo de incubação do coronavírus. 

Mulher usa máscara durante comemorações do Ano Novo Chinês na Liberdade, região central de São Paulo - Bruno Santos - 1.fev.20/Folhapress

​Kanamura disse na tarde desta quarta-feira (26) que não há motivo para pânico da população de São Paulo, porque o único caso confirmado de coronavírus no estado é importado. “Mas é necessário ficar em alerta porque essa situação pode mudar a qualquer momento”, disse.

Segundo Kanamura, o empresário continuará em isolamento, em sua residência na cidade de São Paulo, até que os sintomas desapareçam. A mulher dele, que está sendo monitorada, está na mesma casa, mas ela não é considerada um caso suspeito por não apresentar sintomas. A orientação é que o empresário não compartilhe utensílios domésticos, lave sua roupa e tenha seu lixo descartado separadamente. 

Segundo Solange Sabóia, coordenadora da Covisa (Coordenadoria de Vigilância Sanitária), da gestão Bruno Covas (PSDB), o monitoramento das pessoas que tiveram contato com o empresário está sendo feito diariamente, por telefone, para saber se apresentam sintomas da doença. Elas não estão em isolamento e seguem a rotina diária.

Pela manhã, a Prefeitura de Vinhedo (79 km de SP) disse, em nota, que três pessoas, parentes do empresário e que tiveram contato com ele no fim de semana, estão em isolamento domiciliar. São dois adultos e uma criança.

Além do monitoramento, as autoridades de saúde acompanham 11 casos suspeitos de coronavírus, sendo nove na capital, um em São Roque (66 km de SP) e um em Lorena (198 km de SP). São considerados casos suspeitos as pessoas que apresentam sintomas como febre, tosse e coriza e que tenham viajado para China, Itália, Iraque, Coreia do Sul. Também estão na lista a Austrália, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes. 

Segundo o infectologista Marcos Boulos, um dos integrantes do comitê criado para acompanhar o coronavírus no estado, é recomendável que as pessoas evitem viajar para esses países. “Se não quiser ser contaminada, é melhor evitar esses lufastes”, afirmou.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.