Vírus muda cerimônias em cemitérios da capital paulista

Parentes e amigos ficam do lado de fora das salas e evitam abraços e cumprimentos

Fábio Munhoz
São Paulo

Um dia depois de a Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), ter determinado que os velórios na capital devem receber somente dez pessoas de cada vez, os cemitérios da cidade estavam vazios na manhã desta terça-feira (17).

Cemitério da Consolação, na região central da cidade de São Paulo - Rivaldo Gomes/Folhapress

Nos cemitérios Araçá e da Consolação (região central), os parentes ficavam do lado de fora das salas, mesmo sem fixação do aviso para que se evite aglomerações.

O medo também fez as pessoas mudarem seus hábitos nos momentos de despedida, com menos abraços e cumprimentos.

Apesar do cuidado, no cemitério da Vila Alpina (zona leste), o banheiro masculino do velório estava sem sabonete.

Resposta

A Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), informou que a reposição de sabonete líquido no cemitério Vila Alpina já foi feito. A administração ainda destacou que está sendo produzido material a ser fixado nas salas de velório informando o limite máximo de dez pessoas no local.

Funcionários e seguranças do velório e GCMs estão cuidando para que as regras sejam seguidas, informa a prefeitura.

Em caso de enterro de vítimas de covid-19, os sepultadores foram orientados utilizados equipamentos de proteção (como máscara, macacão e luvas) e os caixões são lacrados, informa a pasta.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.