Descrição de chapéu Coronavírus

Megaferiado em SP tira passageiros do transporte, mas movimentação ainda é intensa

Plataformas e trens estavam menos lotados, porém com passageiros ainda aglomerados

Juliana Finardi Rivaldo Gomes
São Paulo

Usuários dos transportes coletivos na capital paulista relataram uma discreta queda no movimento nesta segunda-feira (29) de megaferiado, apesar de o fluxo de passageiros ainda manter-se intenso principalmente nos metrôs e trens da CPTM.

A antecipação de cinco feriados na cidade tem como objetivo manter as pessoas em casa durante a fase emergencial do Plano São Paulo, decretada com a intenção de conter o avanço das infecções, internações e mortes provocadas pelo novo coronavírus.

A consultora de vendas Marcela Andrez disse que leva em média 50 minutos de casa até o trabalho. Ela utiliza três conduções, sendo um ônibus até a estação Guaianases (zona leste), da linha 11-coral da CPTM, o trem até a estação Brás (centro), na linha 3-vermelha, e, de lá, faz a transferência para o metrô, seguindo até a estação Sé, também na região central da cidade. “O feriado em si não mudou muita coisa, os transportes continuam cheios. Creio eu que muitas pessoas estão trabalhando normalmente igual a mim.”

Movimentação de usuários na plataforma da estação Brás da CPTM - Rivaldo Gomes/Folhapress

Vinicius Correia, 32 anos, que trabalha como gestor da área de cobranças em um escritório de advocacia, sai todos os dias de Cajamar (zona norte), onde mora. Vai de carro até a estação Santa Cecília (centro) da linha 3-vermelha do metrô e segue até a Sé, onde fica seu local de trabalho. Ele disse que notou uma pequena diminuição no movimento e no volume de pessoas nos vagões, apesar de ainda perceber um movimento intenso.

A tranquilidade, com relação à pandemia, está longe de acontecer, diz Correia. Apesar de observar que todos os passageiros mantêm-se de máscaras e utilizam sempre o álcool em gel, os números alarmantes, as notícias de internações e falta de leito assustam. “Não teve aquele aperto de todos os dias, mas seguro, para ser bem sincero, ainda não me sinto. Até porque hoje estou bem preocupado com o número de mortes no nosso estado”, disse.

A reportagem do Agora percorreu os trens da CPTM desde Itaquera (zona leste) até a estação da Luz (centro), onde o volume de passageiros permaneceu intenso. Seguindo para o Brás (centro), onde acessou a interligação com o metrô até a Sé (centro), o fluxo de usuários manteve-se elevado, apesar de não caracterizar a aglomeração de um dia comum.

No Terminal Bandeira da SPTrans, na praça da Bandeira, entre as avenidas 9 de Julho e 23 de Maio, na região central da cidade, o movimento estava tranquilo.

Resposta

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, gestão Bruno Covas (PSDB), por meio da SPTrans, afirmou, em nota, que a demanda de passageiros dos ônibus municipais caiu de 61% na semana anterior ao retorno da Fase Vermelha (2/3) para 39% na sexta-feira (26/3), primeiro dia de feriado antecipado. Os percentuais são comparados em relação a um dia útil antes da pandemia.

A frota do sistema de transportes está mantida nos mesmos níveis das últimas semanas durante os feriados antecipados de 26/3 a 4/4, segundo a pasta. Nos dias 26, 29, 30 e 31 de março, 1º e 2 de abril, a frota será correspondente a de um dia útil, enquanto nos dias 27 de março e 3 de abril (sábados), será a que está operando aos sábados, e nos dias 28 de março e 4 de abril (domingos), a frota será aquela que está rodando aos domingos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.