Descrição de chapéu Zona Sul

Paciente não consegue agendar médico no Hospital do Servidor de SP

Problema é provocado por mudança no sistema de agendamento do centro médico municipal

Elaine Granconato
São Paulo

Pacientes do Hospital do Servidor Público Municipal, na Aclimação (zona sul da capital paulista), não conseguem marcar exames e procedimentos nem retornos de consultas com especialistas. Isso porque o sistema de informatização passa por mudanças e está inoperante há pelo menos, um mês.

Dessa forma, os servidores municipais ativos e inativos, além de dependentes e pensionistas atendidos no complexo hospitalar, têm perdido a viagem.

Este é o caso de uma funcionária pública com 21 anos de Prefeitura de São Paulo, que faz parte do tratamento oncológico no hospital e pediu para não ser identificada. Ela não conseguiu agendar o exame de sangue nesta quarta-feira, solicitado pelo médico.

Pelo hospital, a servidora da área da educação peregrinou por vários andares, desde o terceiro, onde fica a oncologia, para outros indicados por funcionários de setores diversos, como a reportagem do Agora acompanhou. Tudo em vão.

"O hospital todo está sem sistema. Vai ligando direto neste telefone para perguntar se voltou", recomendou um dos dos funcionários da Central Pós-Consulta no primeiro andar, após dar uma filipeta com dois números. 

Mesmo procedimento foi feito com todos os pacientes que chegavam ali para agendamento de exame.

Em dias normais de funcionamento do sistema, esse setor vive lotado, com pessoas na fila do lado de fora, segundo funcionários. Nesta quarta à tarde, as 37 cadeiras de espera estavam vazias para dez guichês --apenas dois atendiam.

Indagado sobre a previsão de volta do sistema, um dos funcionários, visivelmente constrangido em ter de repetir o procedimento da ligação para cada pessoa, evitou dar uma data.

Comunicados sobre a falta de sistema estão espalhados por seis dos nove andares do hospital. No setor de matrícula, onde se faz o cartão de consulta, um plástico preto cobre a caixa de senhas e há um cartaz com o alerta sobre o problema.

De quatro guichês, dois traziam o aviso atrás da tela do computador: "Sem sistema. Estamos aguardando a implantação do novo sistema". Só uma funcionária atendia no setor.

Usuários reclamam de perda de exames

Além de não conseguirem agendar os procedimentos e retornos de consultas, os pacientes têm se deparado com problema ainda pior pela frente. Os resultados dos exames laboratoriais realizados, como de sangue e de urina, foram perdidos com a migração de um sistema informatizado para outro do Hospital do Servidor Público Municipal.

A reportagem ouviu três relatos pacientes que foram retirar seus exames no hospital municipal na tarde desta quarta-feira (14).

Moradora no Itaim Paulista (zona leste), uma servidora da prefeitura há dez anos aproveitou o recesso escolar em julho para passar por consultas com urologista e cardiologista, que pediram exames.

"A funcionária disse que todos os exames de sangue e urina feitos foram perdidos com a mudança. Agora, terei de reagendar os dois, mas só quando o sistema voltar", contou, desanimada pelo dia no hospital.

Outra servidora também afirmou que teria de passar novamente pelo médico para pedir uma nova guia de exame. "O erro é deles e não nosso. A gente nem sabe quando vai conseguir atendimento", afirmou ela, que reclamou da manhã perdida.

Com 28 anos de prefeitura e morador em Guaianases, extremo leste de São Paulo, um servidor passou boa parte da quarta-feira no complexo hospitalar. 

"Sem sistema para agendamento, pelo telefone 156, a atendente falou para eu passar na triagem para tentar uma vaga na fisioterapia, mas não consegui. Agora, tenho de esperar para tentar uma na acupuntura às 15h", afirmou.

Com problema na coluna e uso de bengala, o servidor saiu de casa às 6h30 e chegou ao hospital às 8h30 de transporte público. "É uma viagem", afirmou. 

Primeira consulta é pedida por telefone

A primeira consulta no Hospital do Servidor Público Municipal, com ou sem encaminhamento médico, só pode ser agendada pelo portal de atendimento 156 SP, o canal gratuito, via telefone, da Prefeitura de São Paulo.

Já os exames e retornos de consultas são marcados no próprio hospital, que não tem conseguido pela falta de operacionalização do sistema informatizado.

Desde 20 de maio, o hospital realiza os agendamentos por dia da semana e horário para os pacientes do hospital municipal. Por exemplo, a quinta-feira é destinada para a marcação da primeira consulta das seguintes especialidades médicas: ginecologia/obstetrícia, cardiologia, clínica médica e neurologia.

A mudança na marcação do fluxo das consultas, segundo comunicado enviado ao servidor, é "para melhorar o atendimento prestado e proporcionar menos tempo de espera e agilizar", diz parte do informativo pregado na entrada do hospital. Na prática, os servidores apontam falhas, como demora no atendimento virtual. 

Resposta

O Hospital Municipal do Servidor Público, gestão Bruno Covas (PSDB), diz que em julho houve a migração de sistema "para moderna plataforma de informatização".

Alguns módulos já operam, como a marcação de consultas novas, diz. "Mais de 52 mil consultas de retorno estão agendadas até setembro, e, a partir de sexta-feira (16), será liberado agendamento de retorno para outubro". O novo sistema resgatou os resultados dos exames dos últimos dois meses. Os anteriores, a gestão Covas admite que "precisarão ser recoletados". 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.