Campanha pede que padre Júlio Lancellotti seja o primeiro a tomar vacina em SP

Aos 72 anos, religioso mantém trabalho diário com a população de rua, mesmo diante da pandemia do novo coronavírus

Gabriela Bonin
São Paulo

Uma campanha que viralizou nas redes sociais pede para que o padre Júlio Lancellotti seja o primeiro a ser vacinado em São Paulo contra o novo coronavírus —o inicio da vacinação no estado está previsto para o próximo dia 25 de janeiro.

A movimentação teve início no Instagram e a discussão foi levada também ao Twitter, onde mais pessoas endossaram a ideia.

Seguidores do padre afirmaram que a ação é uma boa forma de demonstrar admiração ao trabalho dele. O padre é coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo e, há anos, trabalha dando assistência à população que mora nas ruas da capital.

Seguidores fazem campanha nas redes sociais para que o padre Julio Lancellotti seja o primeiro a se vacinar contra a Covid-19 em São Paulo - (Foto: Reprodução/Instagram)

Aos 72 anos, ele faz parte do grupo de risco para a doença, mas preocupou-se em dar continuidade ao trabalho diário com os moradores de rua. “Essa convivência tomou uma nova forma com a pandemia, com precauções e toda uma nova estrutura de trabalho”, afirma.

O padre diz ter ficado sensibilizado pelo carinho e pela proporção que a campanha tomou. Questionado sobre a vacina, declarou que “pretende tomar assim que estiver disponível e em seu devido tempo”, já que, por ter menos de 75 anos, não será o primeiro grupo a ser imunizado, segundo o plano divulgado pelo governo do estado —a previsão é que a primeira dose seja para esta faixa etária seja dada a partir do dia 15 de fevereiro.

Mas a pressão nas redes sociais está grande. Foram duas postagens no Instagram do padre, que tem mais de 340 mil seguidores, com agradecimentos do religioso pela lembrança. Um teve 44,3 mil curtidas e o outro, 56,6 mil. No Twitter, o principal tweet divulgando a campanha teve 26 mil curtidas e 4 mil retweets

O padre também reiterou que a Casa de Oração do Povo de Rua, no bairro da Luz, na região central da capital, se colocou à disposição do governo para ser um posto de vacinação para a população em geral e a de rua.

No Twitter, em resposta à campanha pela vacinação do padre Júlio Lancellotti, algumas pessoas também comentaram que gostariam que o médico Drauzio Varella fosse o primeiro brasileiro a ser imunizado.

Questionado sobre quem será a primeira pessoa a tomar a vacina, o governo do estado, gestão João Doria (PSDB), não respondeu até a publicação desta reportagem. Há boatos de que seja um profissional de saúde, assim como aconteceu nos Estados Unidos, mas ainda não há informação oficial.​

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.