Mortes por Covid-19 sobem 42,3% entre motoristas e cobradores de SP

Até o dia 31 de agosto, 74 profissionais já tinham morrido em decorrência da doença na capital

São Paulo

O número de motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo que morreram em consequência da Covid-19 subiu 42,3% em pouco mais de sete semanas. Até o dia 31 de agosto, a categoria havia registrado 74 mortes relacionadas à doença.

Os dados foram divulgados pelo Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo. No dia 10 de julho, o número de mortos entre os profissionais da categoria era de 52. Em junho, eram 35 óbitos.

Já a quantidade de casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus teve aumento de 45,2% no mesmo período, passando de 208 para 302 registros. Em relação aos casos suspeitos, a elevação foi de 747 para 819 (9,6% a mais).

"O fato é que, mesmo seguindo todos os protocolos de segurança, com o uso diário de máscara e álcool em gel, os condutores continuam sofrendo maior risco de contágio", diz o sindicato. Segundo a entidade, com a retomada das atividades em diversos setores, os ônibus voltaram a ter superlotação, o que dificulta o isolamento social dentro dos coletivos.

Em relação às regiões da cidade, os motoristas e cobradores da zona leste são os mais afetados pela pandemia: foram 92 casos confirmados e 24 mortes. Nas zonas sul e oeste, foram 21 vítimas fatais.

Em junho, o então secretário municipal de Transportes da capital, Edson Caram, pediu exoneração do cargo depois de o prefeito Bruno Covas (PSDB) ter ameaçado demiti-lo caso os ônibus municipais continuassem a rodar com excesso de passageiros.

Resposta

A SPTrans, empresa responsável por gerenciar o sistema municipal de transporte em São Paulo, diz que, desde o início da quarentena, "adotou uma série de medidas para que motoristas, cobradores e passageiros do sistema de transporte público da capital se previnam contra o novo coronavírus".

"Como medida de prevenção, as empresas estão autorizadas a usar cortinas em formato em "L" nos postos dos motoristas para evitar o contágio pelo novo coronavírus. A SPTrans também sinalizou a distância de 1 metro entre os usuários nas plataformas para aguardar o embarque nos terminais", afirma a empresa, que também diz acompanhar o movimento de passageiros para adequar a frota de acordo com a demanda.

Segundo a SPTrans, outras medidas estão sendo adotadas, como o reforço na limpeza dos ônibus e dos terminais, bem como nos equipamentos de ar condicionado.

"Quanto ao uso da máscara, ela deve ser utilizada pelas pessoas durante toda a viagem, inclusive por motoristas e cobradores. Para informar e conscientizar a população da determinação, os ônibus receberam adesivos com o aviso sobre a obrigatoriedade, que foram fixados no para-brisa e nas portas dos veículos", finaliza a SPTrans.

Situação da categoria

10 de julho 31 de agosto Variação
Casos
confirmados
208 302 45,19%
Mortes 52 74 42,31%

Covid-19 por região

Casos
confirmados
Mortes
Leste 92 24
Sul 64 21
Norte 83 3
Sudeste 36 5
Oeste 27 21


Fonte: Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.