Descrição de chapéu Zona Norte

Crianças recebem presentes de Natal em ação solidária na zona norte

Evento foi realizado na quadra da escola de samba Rosas de Ouro e atraiu moradores da Freguesia do Ó e Brasilândia

A rainha da bateria da escola de samba Rosas de Ouro, Ana Beatriz Godói, e o coletivo Aliança Corinthiana, realizaram nesta sexta-feira (18) a entrega de 600 presentes para crianças que moram em comunidades da Freguesia do Ó e Brasilândia, na zona norte da capital, ambas no entorno da quadra.

Em ação na quadra da Rosas de Ouro, crianças de comunidades da zona norte de São Paulo ganharam doces e brinquedos - Rubens Cavallari/Folhapress

“Eu trabalhava como promotor e estoquista num supermercado. E também apitava jogo de várzea. Daí parou tudo. A gente está numa situação bem difícil e, se não fosse essa ação, não teria como dar presente neste ano”, afirmou Rodrigo Souza, 26 anos, pai de Micael, de 2. Eles moram na comunidade da Fé e Rodrigo diz que, com o fim do auxílio emergencial, a realidade da família ficará mais complicada ainda a partir de agora. “O brinquedo distrai um pouco o moleque”, diz.

Micael recebeu um ioiô e um carrinho verde, a cor do seu time de coração, o Palmeiras, das mãos dos integrantes da Aliança Corinthiana. Trata-se de uma corrente política que integra dezenas de empresários alvinegros que inaugurou a sua primeira ação social com a doação dos brinquedos na Rosas de Ouro. “No próximo domingo vamos entregar mais 300 brinquedos na Estrela do Terceiro Milênio (escola de samba coirmã da Rosas). A ideia é promover mais ações sociais”, afirma o presidente da Aliança, Marcelo Gama Peinado, conselheiro do clube.

Camila Carvalho, 31 anos, foi buscar os brinquedinhos para o pequeno Miguel, de 1 ano. “Faço parte do projeto social da Rosas há dez anos e receber o brinquedo foi muito bom”, disse.

Solidariedade da rainha

Por intermédio de promoções em suas redes sociais, a rainha da bateria da escola de samba Rosas de Ouro, Ana Beatriz Godói, conseguiu arrecadar 400 cestas básicas para distribuir na região.

A empresária, que dona de lojas de roupas e de colchões, ela diz conhecer bem a realidade da região. “Eu confesso que nunca havia feito nada especificamente para as crianças. E isso foi muito bom. Espero que esse gesto sirva de exemplo e motive mais pessoas”, diz.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.